terça-feira, 28 de agosto de 2007

Momentos Maravilhosos - Parte I

Outro dia fui à casa da minha querida amiga Cristina e passei horas super agradáveis batendo papo, comendo muito queijo, chiuaua (um mini hotdog no estilo Cristina de ser) regado a vinho e cerveja. Tive o prazer de conhecer o roommate dela, Thiago, que é pesquisador e trabalha no Museu da Pessoa.
O museu é virtual e segundo a definição do próprio site "a missão do Museu da Pessoa é promover a democratização da memória social, por meio da valorização de histórias de vida de todas as pessoas da sociedade para contribuir com a construção de uma sociedade mais justa, democrática e baseada na compreensão e respeito pelo outro." Por isso, qualquer pessoa pode fazer parte gravando um depoimento.

Tomando a liberdade, quero também aproveitar para compartilhar o trecho de uma entrevista do educador Paulo Freire, gravada em 1992 para o Projeto Memória Oral dos Idosos, impresso em um cartão postal que ganhei da Cris e achei maravilhoso demais para ficar guardado na minha gaveta:

"É preciso sepultar, sepultar o grande amor.
É preciso reconhecer ou assumir a ausência dele.
No momento em que você assume a ausência, ela muda de qualidade.

Já não é uma ausência dramática e dolorida, porque começa a virar uma presença remota.
A ausência se veste de uma saudade risonha, em que convive com a positividade do passado. Então você está disposto de novo a reabrir-se para o mundo..."

Obrigada Cris, por este presente. Cada vez que leio este trecho fico arrepiada!!!

2 comentários:

Cristina disse...

Oi Aninha!!

Fiquei muito feliz em ver esse post no teu blog, mas quem tem que agradecer sou eu!
Adorei nossa festinha e a oportunidade que tivemos de nos aproximarmos, conhecermos, trocarmos idéias e experiências... já sei que você virou uma amigona e que iremos desbravar muitas coisas juntas! Conte comigo! Um super beijo e um super muito obrigada =)
Cris

Thiago disse...

Que coisa chique eu encontrar o meu nome no blog! Obrigado pela visita, e espero que tenham mais festinhas em casa.
Beijão